img-1604.jpg

History

As primeiras referências da sua existência remontam ao século XVI, altura em que é instituído por Afonso Gonçalves o Morgadio de Balão, que na época se chamava “Quinta da Capela de Balão”. Pensa-se que terá sido precisamente a sua primitiva capela que estará na origem do nome da Quinta.

Esta Quinta, por lei, era um morgadio, ou seja, era uma herança do filho homem mais velho. Um dos herdeiros, Caetano de Mendanha, morreu num duelo motivado por disputas amorosas e não deixou herdeiros. Como a Quinta tinha mais de 100 hectares, um exagero para a região dos Vinhos Verdes, foi dividida em várias frações e vendida em hasta pública em 1822.

 A antiga casa da Quinta, com as suas volumosas paredes de granito, típicas da arquitetura rural do noroeste de Portugal, é hoje a sua sede.

 

 A Quinta de Balão pertence à família Novais Miranda desde 1974. Logo após a sua aquisição, esta família teve como prioridades o replantio da vinha e a reconstrução da casa e capela, restituindo à Quinta a sua secular casa e dotando-a de condições para a realização de variados eventos festivos. Atualmente possui 22ha, explorados fundamentalmente por vinha e floresta, produzindo diversos vinhos e espumantes.

1.jpg